Curiosidades

Marte Tem Uma Atmosfera?

  • Marte já teve água de superfície antes de sua atmosfera se diluir.
  • O planeta perde cerca de 100 gramas de atmosfera por segundo.
  • O gelo em Marte é feito de dióxido de carbono congelado, que se condensou de sua camada atmosférica.
Marte tem uma atmosfera, embora parte dela tenha se perdido ao longo de bilhões de anos. O planeta tornou-se evidência de mudanças climáticas em grande escala, perdendo grande parte de sua atmosfera antes espessa para ter uma 100 vezes mais fina que a da Terra, com cerca de 1% de sua densidade. Os cientistas continuam a estudar a composição da atmosfera do planeta e seu volume para determinar se pode ter havido vida no quarto planeta a partir do sol, e se ele poderia sustentar a vida como a conhecemos novamente.

De Que É Feita A Atmosfera Marciana?

A atmosfera marciana é composta principalmente de dióxido de carbono (95%). O restante dos elementos são nitrogênio (2,7%), argônio (1,6%), oxigênio (0,13%), monóxido de carbono (0,08%) e níveis menores de água, óxido de nitrogênio, néon, hidrogênio-deutério-oxigênio, criptônio, e xenônio.

O dióxido de carbono constitui a maior parte da atmosfera marciana. O planeta fica tão frio nos meses de inverno, que as calotas polares de dióxido de carbono se formam nos pólos, mas quando eles são expostos ao calor, essas calotas sofrem sublimação e voltam à forma gasosa. Como o dióxido de carbono se transforma regularmente de gás em sólido, a composição atmosférica pode mudar de ano para ano à medida que o elemento se condensa ou sublima. Os níveis de dióxido de carbono no Planeta Vermelho excedem os da Terra devido à falta de vida vegetal, o que ajuda a converter o dióxido de carbono em oxigênio.

Embora seja responsável por apenas 2,7% da atmosfera de Marte, muitos cientistas acreditam que pode haver níveis mais elevados de nitrogênio no planeta, já que parte dele pode estar escondido e armazenado como sal de nitrato no solo vermelho do planeta. Essas quantidades de nitrogênio sólido não foram medidas, no entanto.

Há mais argônio na atmosfera de Marte do que em qualquer outro planeta, e seus níveis são constantes porque o gás não condensa. Apesar de seus valores reais permanecerem estáveis, os níveis relativos de argônio na atmosfera podem flutuar à medida que o dióxido de carbono entra e sai da atmosfera por condensação.

Como É Marte?

Acredita-se que Marte tenha um ambiente frio e desértico, sem vida nele. Crédito da imagem: Ustas7777777 / Shutterstock.com

O Planeta Vermelho é um ambiente frio e desértico, com leitos de rios secos e minerais que se formam apenas com água líquida. Esses elementos da composição do planeta levam os cientistas a acreditar que Marte já teve uma atmosfera espessa o suficiente para reter calor, o que teria permitido que a água fluísse em sua superfície de maneira semelhante à da Terra. À medida que a atmosfera desaparecia, o clima de Marte se transformava em uma terra congelada e ressecada, e a água era escassa ou inexistente. Sua atmosfera agora está tão fraca que não pode sustentar a vida.

Com uma atmosfera fina e sua distância do sol, o Planeta Vermelho é frio, com temperaturas médias oscilando em torno de -80 graus Fahrenheit ou -60 graus Celsius e notáveis ​​ondas de frio chegando a -195 F (-125 C) perto dos pólos e o calor do meio-dia subindo para 70F, ou 20C, perto de seu equador.

Como A Atmosfera Foi Perdida?

É difícil estimar quanto da atmosfera de Marte foi perdida, porque os cientistas são incapazes de resolver o mistério de como ela era espessa nos tempos antigos. Embora os estudos indiquem que era saudável o suficiente para manter o planeta aquecido e a água fluindo, não há evidências de quanta atmosfera Marte já teve.

Os cientistas analisaram os isótopos de oxigênio do planeta em busca de alguma pista. Isótopos mais leves escapam para o espaço mais rápido do que os mais pesados, e o Planeta Vermelho tem níveis ricos de isótopos de oxigênio mais pesados. Essas quantidades podem ajudar a estimar quanto mais atmosfera já existiu se os cientistas trabalharem com a suposição de que as quantidades de isótopos leves e pesados ​​de oxigênio em Marte já foram semelhantes à Terra.

Alguns acreditam que a atmosfera pode ter sido comprometida por um impacto devastador de um pequeno corpo, que poderia ter removido muitos isótopos e deixado uma camada atmosférica mais fina.

As principais teorias sobre o motivo da perda de atmosfera são que a gravidade leve do planeta e a falta de um campo magnético deixaram sua antiga atmosfera suscetível à pressão dos fortes ventos solares, que carregam um fluxo consistente de partículas do sol. A pressão do sol puxou isótopos mais leves da atmosfera, afinando-os.

Em 2013, a missão MAVEN da NASA mediu a taxa em que a atmosfera de Marte estava sendo destruída pelos ventos solares, o que teria fornecido dados para inferir a taxa de perda do resto de sua camada atmosférica ao longo da história. As descobertas indicaram que Marte perde aproximadamente 100 gramas, ou 0,25 libras, de sua atmosfera a cada segundo. Quando ocorrem explosões solares, essa taxa aumenta cerca de 20 vezes. Os cientistas estimam que quando a atmosfera estava mais densa, os mesmos níveis dos ventos solares a teriam afastado mais rápido.

Qual É A Importância Da Atmosfera Marciana?

A atmosfera em Marte pode ser muito mais fina do que na Terra, mas permanece intacta o suficiente para causar clima, nuvens e vento. Freqüentemente, durante a primavera e o verão, os padrões climáticos causam redemoinhos de poeira gigantes, levantando a poeira de ferro oxidado que cobre sua superfície, dando a Marte seu tom vermelho característico. Uma teoria sobre a causa das tempestades de poeira é que as partículas transportadas pelo ar, consideradas parte permanente da atmosfera, absorvem a luz solar e fazem com que bolsões de ar mais quentes fluam por regiões frias, o que gera ventos fortes. Esses ventos levantam mais poeira do solo para o ar, aquecendo mais a atmosfera, criando mais vento e poeira.

Os altos níveis de dióxido de carbono na atmosfera criam flocos de neve marcianos, que são na verdade pequenas partículas que se formam juntas e criam um efeito de névoa. Os pólos do planeta também são cobertos por calotas polares, mas estas também são amplamente compostas por dióxido de carbono em vez de água.

Compartilhar
Gilvan Alves

23 Anos de idade, Técnico em Rede de Computadores, Sempre em busca de aprender algo novo todos os Dias!

Este site usa cookies.