Prevenção de suicídio entre adolescentes: o que você precisa saber

7 dias ago
76 Views
Prevenção de suicídio entre adolescentes: o que você precisa saber

É um fato estabelecido que o suicídio se tornou um fenômeno global. De fato, o suicídio foi listado como a segunda principal causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos em 2012, segundo a OMS. Além disso, estima-se pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) que são feitas pelo menos 25 tentativas para cada suicídio adolescente completo. Em um relatório recente divulgado pela OMS, as taxas de suicídio na Índia foram registradas como as mais altas da região do sudeste asiático. Com a taxa de suicídios quase quadruplicando na última década, não seria incorreto estimar que as tendências suicidas são uma realidade crescente de nossa sociedade em todas as seções da população, independentemente de idade, sexo, estratos econômicos ou qualquer outra seção demográfica.

A adolescência, ou a adolescência em si mesma, foi identificada como um período crucial, considerando as rápidas mudanças como parte das próprias fases do desenvolvimento, além de lidar com a transição da infância para a próxima fase do desenvolvimento da vida, trazendo consigo as ansiedades inerentes, e confusões quanto à formação de identidades, lidando com relacionamentos e seus próprios autoconceitos. Nesse contexto, não é surpreendente entender a suscetibilidade dos jovens a experimentar altos níveis de estresse.

O que é importante entender é que uma mente suicida, independentemente da idade, sexo ou qualquer outra variável demográfica, tende a se encher de muitas emoções negativas e desesperadoras que começam a dominar o indivíduo. Em tais circunstâncias, um sentimento de desesperança e desamparo pode levar a pessoa a recorrer ao suicídio como o único meio disponível, pois eles tendem a sentir desamparo e não sentem que poderiam mudar o presente, sentindo que as circunstâncias estão fora de seu controle.
Também é importante entender o papel da família e dos amigos na prevenção de suicídios. É necessário entender que suicídios são evitáveis. Enquanto trabalhamos para a prevenção do suicídio, é preciso agir com calma e fornecer apoio, estando lá para a pessoa, construindo um forte sistema de apoio e deve encorajá-la.

Como pai e amigo, é preciso entender os sinais de alerta do suicídio. É crucial procurar um especialista em saúde mental em caso de crise. Um apoio positivo de um especialista em saúde mental no momento certo pode dar um raio de esperança a um indivíduo suicida e ajudá-lo a reconsiderar suas opções, reavaliar e acabar aprendendo mecanismos de enfrentamento mais adaptativos para lidar com seus estressores.

Os sinais de aviso de intenção suicida podem diferir de pessoa para pessoa. Alguns podem sofrer súbitas mudanças de humor ou outros podem ficar isolados de amigos e familiares. A seguir, alguns sinais comuns de suicídio.

Doação de pertences ou posses preciosos Ceder a
comportamentos excessivos de correr riscos, como dirigir de forma imprudente, aumentar o uso de álcool ou drogas, etc.

Fascinação repentina por músicas, filmes ou literatura relacionados à morte / suicídio

Estar atento a objetos pontiagudos letais, venenosos ou afiados, como facas, cordas, pílulas etc.

Sentimentos de desesperança, desamparo, ansiedade, raiva ou até vingança

Uma sensação de falta de propósito na vida

Nossa sociedade também desempenha um papel importante na prevenção do suicídio. É necessário conscientizar a sociedade sobre os números da linha de apoio à prevenção de suicídios. É importante que reconheçamos a importância de estabelecer um sistema de apoio social e de rede social adequado, apoio familiar, escola e conexão com a comunidade, pois eles mesmos poderiam servir como um fator importante para diminuir o risco de suicídios. De fato, é nossa responsabilidade social incentivar a conversa sobre nossa saúde mental, criando não apenas consciência, mas também uma sensibilidade em torno de doenças mentais, para que mais e mais pessoas possam buscar ajuda e permitir uma intervenção mais precoce. Essa é a responsabilidade de todos nós, como adultos responsáveis, trabalhadores da linha de frente e porteiros de escolas, faculdades, playgrounds e parques, ou qualquer outra área pública também, para não esquecer o papel da mídia e os modelos para ajudar a sustentar esses esforços. Todos os nossos esforços precisam ser direcionados para a criação de uma política nacional robusta de prevenção ao suicídio, que possa realmente tornar realidade a visão de prevenção do suicídio.

Gilvan Alves

22 Anos de idade, Técnico em Rede de Computadores, Sempre em busca de aprender algo novo todos os Dias!

Últimos posts por Gilvan Alves (exibir todos)

Gostou? Comente e Compartilhe com seus Amigos...
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *