Qual é o mais novo órgão descoberto no corpo humano?

2 semanas ago
68 Views

O “órgão” que os cientistas identificaram recentemente no corpo humano é chamado de interstício. Simplificando, o interstício é uma série de bolsas microscópicas, cheias de líquido, encontradas em todo o nosso corpo. Como mencionado anteriormente, o interstício não é um órgão sólido carnudo, mas sim uma rede de sacos cheios de líquido muito pequenos e delicados.

Olhando para o incrível número de talentos médicos e tecnológicos que os humanos alcançaram até este ponto, parece um pouco inacreditável se alguém dissesse: “Ei! Você sabia que os cientistas encontraram um novo órgão no corpo humano?

Mesmo assim, foi exatamente isso que aconteceu quando, há alguns meses, fui informado por um grupo de pesquisadores e cientistas médicos (nas notícias, é claro) que descobriram um novo órgão no corpo humano. Acredite em mim… fiquei chocado!

Eu não podia acreditar que nós humanos, que sabemos tanto sobre o mundo ao nosso redor, o planeta, a galáxia e além, não soubéssemos que tínhamos perdido um órgão em nosso próprio corpo! Como poderíamos descobrir um novo órgão dentro do nosso corpo depois de todo esse tempo, tendo alcançado tanto em ciências médicas e tecnologia!

No entanto, como o meu intenso entusiasmo passou, eu olhei para este órgão “novo”, e esta súbita “descoberta” de um novo órgão começou a fazer mais sentido do que inicialmente tinha.

Então, vamos começar com o aspecto “o quê” dessa coisa toda.

Um novo órgão encontrado! O que é isso?

O “órgão” que os cientistas identificaram recentemente no corpo humano é chamado de interstício. É um espaço contido cheio de líquido que existe entre uma barreira estrutural, como a pele, e estruturas internas, como órgãos e músculos. Basicamente, é uma série de sacos microscópicos, cheios de líquido, encontrados em todo o nosso corpo.

sacos cheios de fluido

Os sacos cheios de fluido são chamados de interstício.

É interessante notar que o interstício não é um “órgão” em si, pelo menos no sentido de que os nossos órgãos “regulares” (por exemplo, coração, pulmões, fígado etc.) são. O interstício é, na verdade, uma vasta estrutura presente em todo o corpo, mas é tão extensa que pode ser apelidada de órgão por direito próprio.

Onde esse órgão recém-encontrado está localizado?

Como mencionado anteriormente, o interstício não é um órgão sólido singular que pode ser segurado em sua mão; em vez disso, é uma rede de bolsas muito pequenas e cheias de líquido.

Você já deve saber que logo abaixo da nossa pele há uma camada de tecido. Essa camada também reveste alguns órgãos vitais, incluindo os pulmões, os tratos urinário e digestivo e uma porção significativa do sistema circulatório. No passado, pensava-se que isso não passava de uma camada densa de tecidos conjuntivos, mas descobertas recentes publicadas em uma respeitada revista revelam que o tecido é, na verdade, uma rede de minúsculos compartimentos interconectados!

Funções do interstício

Os cientistas não estão totalmente certos sobre as funções do interstício, mas sabemos que esses sacos atuam como pequenos amortecedores para o corpo. Em termos simples, esses espaços cheios de fluido impedem que os tecidos se rasguem quando os órgãos que cobrem, como o coração, os músculos e os vasos sangüíneos, pulsam ou dilatam como parte de sua função diária.

Por que o interstício foi descoberto recentemente?

Pesquisadores médicos publicaram suas descobertas sobre o interstício na revista Scientific Reports em março de 2018. A questão é: como algo tão significativo passou despercebido durante todo esse tempo?

Até agora, não conseguimos identificar o interstício como uma entidade separada devido aos meios que usamos para estudar o material sob a pele. O método tradicional envolveu a análise de tecido fixo em lâminas microscópicas. O tecido fixo é preparado pelos cientistas após tratá-lo com produtos químicos, cortando-o finamente e, em seguida, drenando os fluidos restantes. Isso fez com que os sacos cheios de líquido colapsassem, deixando apenas o tecido conjuntivo de suporte visível.

Recentemente, graças à nova técnica de endomicroscopia a laser confocal baseada em sonda, realizada por pesquisadores da Universidade de Nova York, um tipo diferente de imagem microscópica pode ser gerada. Ao examinar o ducto biliar de um paciente com câncer, os pesquisadores descobriram essa rede de sacos cheios de líquido.

Foi assim que o interstício foi finalmente encontrado e identificado como uma entidade separada dos tecidos conjuntivos. Antes tarde do que nunca!

Referências:

  1. Nature.com
  2. Northwell Health
  3. Universidade da Pensilvânia
Qual é o mais novo órgão descoberto no corpo humano?
Avalie este Post...
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Loading...

Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *