10 Práticas de saúde incomuns na história

1 semana ago
25 Views

Todos fizeram uma viagem ao consultório médico. Talvez para uma verificação de rotina. Talvez para obter um diagnóstico. As prescrições seriam escritas e recolhidas e é só isso. De volta ao dia, as práticas de saúde comuns não eram tão civilizadas. Alguns não faziam sentido, outros eram perturbadores e alguns até mortais. Abaixo estão as 10 melhores práticas de saúde incomuns na história!

10 – Sangria

Sangria

Bloodletting – Veja a página do autor [ CC BY 4.0 ], através do Wikimedia Commons

Retornando dos antigos Sumérios e egípcios até o século 19, as pessoas acreditavam que as doenças eram resultado de “sangue ruim”. Para limpar o corpo ou equilibrá-lo como eles acreditavam, eles iriam fazer sangria. Bloodletting está cortando uma veia e drenando o sangue em um receptáculo. Ou, as sanguessugas seriam colocadas na pele para sugar o sangue.

09 – Dieta

Diet

Dieta da tênia – pela Food and Drug Administration dos EUA (Anúncio de perda de peso (FDA 154)) [Domínio público], através do Wikimedia Commons

A dieta sempre teve alguma forma de importância em todas as épocas para alcançar qualquer que seja a figura desejada do tempo. As mulheres vitorianas fizeram dieta para a beleza a outro nível, ingerindo ovos de tênia, já que o parasita crescente consumiria a maioria dos nutrientes consumidos. Dessa forma, as mulheres podiam comer tanto quanto queriam e ainda perder peso . Parecia fácil até lidar com as conseqüências e métodos para remover a tênia que já matou pessoas.

08 – Foice de ovelha

Ovelha

Ovelha

Os prestadores de cuidados de saúde na Mesopotâmia, conhecidos como o Iraque hoje, fariam conclusões médicas não examinando o paciente em necessidade, mas examinando o fígado de uma ovelha que havia sido sacrificada. Eles acreditavam que o sangue proveniente do fígado fazia do fígado a fonte de vida para eles.

07 – Esterco de crocodilo

Croc Dung

Croc Dung – Por Tim Muttoo (IMG_1186) [ CC BY-SA 2.0 ], através do Wikimedia Commons

Acredite ou não, o esterco de crocodilo foi usado como uma medida para evitar a gravidez no Egito antigo. Seria inserido na mulher quando estava seco. Eles acreditavam que, à medida que a temperatura do corpo da mulher a suavizava, o esterco formaria uma barreira contraceptiva cheia de prova.

06 – Coleção de mouse

Rato

Rato

Antigos egípcios amassavam um rato morto em uma pasta, às vezes adicionando outros ingredientes, para tratar a dor de dor de dente. Os ratos também foram cortados ao meio durante a Inglaterra elisabetana e aplicados em verrugas para tratamento. Eles também foram usados ​​como uma forma de tratamento para doenças como sarampo, varíola e tosse convulsa.

05 – Hemigolossectomia

Língua

Língua

Para quem gaguejava durante o século 18 e 19, receberam uma hemiglossectomia; tendo a metade da língua cortada. Não só foi doloroso como não havia anestesia no dia, mas obviamente não os “curou” e, infelizmente, alguns sangraram até a morte.

04 – Arsênico

Arsênico

Arsênico

Se você não sabe, o arsênico é um veneno, mas a medicina tradicional chinesa o usou como ingrediente principal na maioria dos medicamentos; incluindo tratamento de malária, sífilis e artrite. As mulheres na era vitoriana usaram o veneno para fins cosméticos.

03 – Xaropes calmantes para crianças

Xaropes calmantes

Syrups calmantes – By Miami U. Bibliotecas – Coleções digitais [ Sem restrições ou domínio público], através do Wikimedia Commons

Durante o século 19, os pais dariam silhuetas calmantes, desobedientes, hiperativas ou exigentes. Isso pode não parecer muito ruim, mas o problema é que os xaropes estavam cheios de narcóticos. Uma marca particular de xarope tinha 65 mg de morfina. Às vezes, eles continham um ou vários ingredientes como codeína, ópio em pó, clorofórmio, heroína, cloridrato de morfina e muito mais. Horrificalmente, as crianças morreram depois que os pais tentaram acalmar a dentição e outras coisas com estes xaropes.

02 – Medicina do cadáver

Medicina de cadáver

Medicina de cadáveres – Veja a página do autor [ CC BY 4.0 ], através do Wikimedia Commons

Ao longo do tempo romano, as pessoas acreditavam que carne, sangue e ossos de pessoas falecidas podiam curar doenças. Por exemplo, acreditava-se que o sangue de Gladiador caído poderia curar a epilepsia. Pessoas doentes compareceram a execuções para tentar comprar uma xícara barata de sangue de uma pessoa recentemente morta.

01 – Trepanação

Trepanamento

Trepanning – Veja a página do autor [ CC BY 4.0 ], através do Wikimedia Commons

Finalmente, para tratar doenças como epilepsia ou outros transtornos mentais, os médicos perfurariam buracos na cabeça de uma pessoa. A evidência disso data de uma base pré-histórica baseada em restos dos tempos neolíticos. O que é surpreendente é que não só as pessoas sobreviveram a este procedimento tortuoso, mas alguns sobreviveram a múltiplos “tratamentos”!

10 Práticas de saúde incomuns na história
Avalie este Post...
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!